Get Adobe Flash player

Enquete

O que falta para o Brasil se tornar uma potência olímpica no atletismo?
 

Mural de Recado

elivan carneiro
16/10/2014 às 21h39
func publico
joao pessoa Pb

diga amigo gladson gostaria de desejar muita paz saude nao so pra vc como todos os seus familiares aproveito tb para parabenizar seu grande trabalho em prol do atletismo. Atenciosamente Elivan(ciclistaUltramaratonista natural de BananeirasPb residente em [...]

Ver recado completo »

Artigos e Notícias

A solução para o esporte brasileiro, um novo conceito: O atleta, o clube, assessoria e a entidade esportiva trilógica.

Para que haja uma mudança significativa no esporte, faz-se necessário uma modificação na própria estrutura que rege o esporte brasileiro e mundial.

Primeiramente, gostaria de definir o que chamo de atleta trilógico. Este se caracteriza por apresentar uma atitude de constante esforço, afeto e humildade. Humildade no sentido de perceber e aceitar os erros que comete. O atleta trilógico faz valorizar a arte, a beleza e a harmonia que é o esporte.

O atleta é dito trilógico por utilizar o sentimento (amor) como o fator principal e básico, pelo qual terá controle sobre seu pensamento e ação. Através do sentimento como base, o indivíduo pensa e age corretamente, perfazendo assim a trilogia, três características em um só indivíduo.

Norberto Keppe percebeu que o ser humano é composto por está tríade: sentimento, pensamento e ação. Mas só é trilógico o indivíduo quando está voltado somente para o bem.

Entretanto, para que o atleta trilógico possa existir em toda sua integridade, é preciso que o próprio esporte mude. Ou melhor, que ele seja praticado, dirigido e organizado por aqueles que mais estão envolvidos neles: os atletas.

Leia mais...

 

Por que o Brasil não cresce no esporte à nível internacional.

A resposta a esta pergunta poderia ser subdividida em:

A) Ao atleta por não se dedicar de “corpo e alma” naquilo que faz;

B) Por não se dar condições a ele de se desenvolver efetivamente (falta de infra-estrutura adequada).

Este último fator talvez seja mais importante que o primeiro, pois vemos um número considerável de atletas brasileiros que ao ganharem bolsa para treinarem em centros mais desenvolvidos conseguem obter grandes resultados. Como exemplo, poderemos citar, Ricardo Prado na natação (ex-recordista mundial dos 400 metros medley) e Joaquim Cruz no atletismo (medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos de Los Angeles nos 800 metros).

Leia mais...

 
Mais Artigos...